sexta-feira, 25 de julho de 2008

Feminilidade Inesgotável

Por que a Estátua da Liberdade, símbolo da paz e da tranquilidade, está representada por uma deusa? Assim também, por que a Justiça está representada pela deusa Minerva, uma mulher com os olhos vendados, e não por um deus, uma figura masculina?
Paz, tranquilidade, justiça, amor são símbolos que normalmente estão relacionados com a imagem feminina de proteção, de sentimento materno, e a função feminina inclui, protege, abraça, solidariza, responde e finaliza. Feminilidade é uma confirmação fundamental da possibilidade feminina.

Outra confirmação é no campo genético: estudos recentes do campo científico-médico estão confirmando que as células-tronco têm muitas enzimas, muita umidade. As células-troco são células ordinárias muito poderosas, devido à sua capacidade de multiplicação. Como estão ligadas diretamente à feminilidade e à maternidade, essas células têm a capacidade de multiplicar três coisas muito importantes: fertilidade, flexibilidade e adaptabilidade.

A feminilidade se adapta a qualquer situação. Naturalmente úmido e flexível, o organismo feminino oscila mais. A mulher chora mais e é mais sensível. Se ela perde umidade, perde a flexibilidade.

O sistema moderno está ficando cada vez mais desértico, e a mulher consequentemente, está ficando mais árida, infértil. Quando a mulher perde a feminilidade, fica dura, inflexível, estagnada, acumulada, propensa ao câncer. Atualmente, os índices de câncer do aparelho genital feminino e também do seio aumentam assustadoramente.

A mulher precisa ter consciência da sua própria originalidade, vitalidade, fertilidade. Feminilidade é a multiplicação da potência feminina materna, da feminilidade ordinária.

Quando se envolve com o sistema, a mulher se masculiniza, esgotando sua potência feminina. Porém, desinvertendo o “destino tecnológico masculino” pelo destino ordinário, original, feminino, ela recupera sua luz inesgotável e pode sobreviver trilhões de anos, porque feminilidade é luminosidade infinita, inesgotável.

Mulher é a esperança da humanidade.

Um comentário:

Palucha disse...

Ola Agata

Adorei encontrar este blog.
Deu-me cá uma saudade dos meus tempos de escola Musso!
Eu sou a Paula Perdigão de POrtugal e apesar do tempo voar eu não esqueço vocês e muito menos os ensinamentos do prof Kikushi nem de D. Bernardette a quem daqui envio os meus sinceros cumprimentos e agradecimentos.
Gostaria de manter contacto contigo Agata meu email é paluchaperdigao@hotmail.com
Beijos a todos
Paula Perdigão